Eu diria que a maioria das pessoas que recorre a consultas de Nutrição, já percorreu uma boa parte dos produtos e serviços disponíveis no mercado para emagrecer…só que ainda não conseguiu encontrar o tal milagre.
Muitas delas, desesperadas por métodos rápidos e milagrosos que não impliquem sacrifícios, acabam por desistir no início ou no meio do processo.
Na realidade, nada vai funcionar enquanto os nossos clientes não se consciencializarem que a verdadeira mudança tem de partir de si mesmos, dando prioridade ao seu equilíbrio alimentar e sobretudo, à sua saúde, em detrimento da paixão irracional pela comida.
 

“Somos aquilo que comemos.”

 
Já dizia Hipócrates, o pai da Medicina na Grécia Antiga.
Infelizmente, parece que é mais fácil para alguns “resolver” as suas frustrações e angústias, ingerindo grandes quantidades de alimentos pouco saudáveis. É certo que a comida proporciona conforto, no entanto, comportamentos compulsivos regulares vão levar apenas a que a saúde e autoestima de quem nos procura, seja comprometida a curto-médio prazo.
Por isso, o nosso papel enquanto Nutricionistas, mais do que reconhecer a existência desta realidade, passa também por ajudar os nossos pacientes a compreender estes comportamentos e em conjunto encontrar um modo de solucioná-los!

Eis que surge o Coaching! 

Eu acredito que para vencer na nossa profissão, temos de nos manter o máximo atualizados possível, aperfeiçoando constantemente o método usado, estando a par dos novos alimentos no mercado, bem como de técnicas eficazes de comunicação com o cliente.
Então, enquanto profissional de Nutrição, deverás entender que um plano nutricional adaptado ao modo de vida e às necessidades do cliente não será suficiente para que ele atinja bons resultados a curto e, sobretudo, a longo prazo.
Porque o que leva os nossos clientes a desistirem das consultas de Nutrição, é porque ou atravessam fases de falta de determinação, ou por não terem sentido o incentivo suficiente por parte do Nutricionista, ou por não se sentirem compreendidos…enfim, a verdade é que o que leva grande parte dos nossos clientes a desistir, tem muito pouco a ver com o plano alimentar que lhe prescreveste, mas muito mais com a forma como a tua mensagem foi transmitida!  
 

Qual é o impacto do Coaching na Nutrição?

Qual é o impacto do Coaching na Nutrição?


 
O Coaching surge, assim, como uma solução de especialização no atendimento profissional, onde o grande objetivo é garantir uma relação eficaz entre ti e os teus clientes, criando empatia entre ambos e motivação no cliente.
O Coach deverá, portanto, agir de forma a entender a realidade do cliente sentindo e ouvindo, sem julgamentos, as suas frustrações, emoções e dificuldades para que este se sinta plenamente compreendido.
 

Chama-se a isso, empatia.

A empatia é uma das técnicas mais importantes do Coaching Nutricional e assenta, sobretudo, na capacidade do Nutricionista-Coach ouvir o seu cliente e ter a capacidade de estabelecer uma relação próxima de cumplicidade e de confiança.
Se fores capaz de criar um vínculo de empatia e de assertividade com os teus clientes, verás que  terão um melhor entendimento sobre a origem do seu problema e conseguirão, mais facilmente, desabafar e admitir aquilo que fazem de errado e que poderá estar a impedi-los de chegar onde desejam.
Ao despertares neles a motivação e a fome de vencer poderás, então, criar um plano nutricional que se adapte não só aos objetivos e às necessidades de cada um, como também às suas dificuldades.
O Coach e o cliente deverão, portanto, andar sempre de mãos dadas em prol de um objetivo comum, para também que a boa educação alimentar e um bom estilo de vida,  se tornem permanentes e não apenas momentâneas.
Para entenderes ainda mais sobre este assunto tão atual, assiste ao vídeo que preparei para ti,sobre se o COACHING ESTÁ NA MODA!! Tens de ir lá assistir e depois diz-me se concordas com a minha opinião!

Estás preparada para deixar o coaching transformar a tua carreira?

 

Vamos juntas #Revolucionar a Nutrição!!
 
Joana Carvalho Costa