Completaste a tua formação académica na área da Nutrição e estás oficialmente preparada para iniciar a tua carreira.
É um momento decisivo em que te podem assaltar muitas dúvidas.
Pode ser que tenhas uma conceção algo restritiva de qual deve ser o papel de um Nutricionista ou que te interrogues acerca do modo como deves gerir a tua relação com os teus clientes.
Como é natural, desejas ardentemente o sucesso mas por vezes podes sentir que estás a anos-luz de o alcançar?!
 

De Nutricionista a Coach

O primeiro passo para atingir este objetivo é ter consciência de que atualmente a Nutrição vai muito além do simples estudo e vigilância da alimentação.
O Nutricionista é antes de mais um reeducador alimentar, utilizando os princípios básicos da alimentação correta para ajudar os seus clientes a adotar um estilo de vida saudável, sempre de acordo com os objetivos a que eles mesmos se propuseram.
Dito de outra forma, pode também ser visto como um coach, um mentor, um orientador.
Sim, mas como é que PODES lá chegar?
Bom, até agora já te deves ter apercebido de que para ter sucesso nesta área, convém colocares de lado a rigidez e as ideias pré-concebidas. Porque é uma área em constante movimento, em constante mudança e há que ter flexibilidade!
Fornece liberdade aos teus clientes para que sejam eles próprios a chegar onde querem, para que sejam eles a tomar as decisões e a se responsabilizarem por elas!
 
E para isso a palavra-chave é: CRIATIVIDADE.
 
Ao contrário do que vulgarmente se pensa, ser criativo é muito mais do que pensar fora da caixa.
Implica ser flexível e atento ao cliente como um todo no sentido de lhe proporcionar exatamente aquilo de que ele precisa.
Por outras palavras, há que ignorar os princípios rígidos e as ideias pré-fabricadas, encarando cada cliente como aquilo que ele realmente é: uma pessoa única, com necessidades e desejos específicos.
Quais são então os três segredos da criatividade neste contexto?
 

Secret 1: Saber escutar

Esta é talvez a principal característica de um bom Nutricionista.
Isto porque, como é evidente, tens de estar atenta aos objetivos e expetativas do teu cliente para que estas não sejam defraudadas.
É absolutamente necessário que tu e ele estejam no mesmo comprimento de onda e para tal é preciso que saibas escutar, muito mais do que simplesmente ouvir.
Quando escutas não te limitas a captar os sons, estás totalmente focada no que a outra pessoa diz, de modo a evitar mal-entendidos.
Podes conseguir isso, praticando técnicas de escuta ativa, por exemplo, esforçando-te por prestar atenção ao outro, não o interrompendo e transmitindo sinais de que estás atenta.
 

Secret 2: Empatia

Esta característica está estreitamente relacionada com a primeira.
A empatia é a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro e isso só se consegue se fores capaz de o escutar, tal como já foi explicado no ponto anterior.
Só depois de entenderes totalmente quais são os objetivos do teu cliente serás capaz de o ajudar a atingi-los. É essa a essência do Coaching.
 

 

Secret 3: Flexibilidade

Na minha opinião, nenhum profissional pode prescindir desta importante característica!
Uma vez que estamos a trabalhar com pessoas e não com máquinas…e lembra-te, os objetivos devem ser SEMPRE do teu cliente, não teus!!
Não és tu que “queres que eles emagreçam!” Tu podes ter esse desejo…ms OBJETIVO e VONTADE devem partir SIM de quem está sentado à tua frente.
Significa isto que cada ser humano é um caso diferente e deves ser capaz de lhe dar a solução que ele procura. O que é ótimo para A pode ser péssimo para B, por isso, caso sintas que és demasiado rígida aprende desde já a libertar-te dessa prisão mental.
Uma boa forma de fazer isso é praticar as técnicas de escuta ativa indicadas no primeiro ponto.
Estes são apenas os segredos mais importantes para quem quer assumir uma postura criativa mas convém não esquecer que existem também outras características relevantes sem as quais se torna difícil assumir estas atitudes.
Nunca é de mais relembrar que para saberes escutar tens de ser humilde e que a flexibilidade implica a capacidade de aprender continuamente, de modo a estares permanentemente atualizada e poderes fornecer as soluções mais adequadas aos teus clientes.
No fim de contas, eles deverão ser sempre a tua principal prioridade!
Até Breve
 
Joana Carvalho Costa